Brincar Para Quê?

Coleção Cultura, Ciência e Cidadania

Elvira Souza LIma

Brincar é direito da infância. Essa é a primeira razão para que se defenda, em todas as instâncias da sociedade, que a criança tenha tempo, espaço e liberdade para brincar.  Do ponto de vista do desenvolvimento humano, brincar faz parte das práticas culturais básicas da infância que levam a criança a se tornar um ser de cultura. Faz parte, também, das atividades necessárias, principalmente nos primeiros anos de vida, para que a criança tenha um desenvolvimento adequado.

Brincar possibilita a formação de estruturas internas que estão relacionadas a vários aspectos

do desenvolvimento.  Brincar para quê? Discute a dimensão formadora da atividade de brincar, explicitando alguns dos aspectos dela resultantes que contribuem para ampliar as possibilidades de aprendizagem da criança e que permanecem como pilares para outras aprendizagens 

no futuro.